Entenda como é simples o controle de estoque

Entenda como é simples o controle de estoque

Essencial para o bom desempenho de um estabelecimento, o controle de estoque nem sempre é entendido pelos proprietários e funcionários. Prestadora de serviços de sistema de gestão, a Inffel preparou um rápido informativo sobre o funcionamento do controle de estoque, baseado em nossa própria expertise.

Basicamente, o controle de estoque é o controle da entrada e saída de mercadorias de um restaurante. O sistema de gestão fará esse trabalho automaticamente, desde que o proprietário faça o cadastro de todos os itens disponíveis no menu.

Esse cadastro se chama inventário. Primeiro, ele é feito manualmente, quando o proprietário (ou o funcionário responsável) faz o levantamento de tudo que há no estoque. Logo depois, esses números são inseridos no sistema. Assim, o valor informado irá substituir o valor da quantidade atual do produto selecionado. Ou seja, o sistema informa a diferença quantitativa e monetária do estoque, gravando essas informações.

Tal diferença vai se dar conforme são realizadas as operações de compra e venda dos artigos disponíveis em estoque.

Na compra, são adicionadas mercadorias ao sistema de gestão, em sua quantidade atual. Nesse processo, o sistema também alimenta boletos para o setor Financeiro e atualiza os custos dos produtos.

Na venda, são computadas as saídas de mercadoria atrás das vendas da casa. Quando uma mercadoria é vendida, ela (ou seus ingredientes) é “baixada” do estoque, ou seja, se antes havia 35 garrafas de vinho, após uma venda restam 34.

Para restaurantes maiores ou a la carte, é interessante fazer a ficha técnica dos pratos. Isto é, em um prato de lasanha vão X gramas de queijo, Y de molho de tomate, determinada quantidade de alho, cebola, salsinha, enfim, as medidas de tudo que a receita leva. Assim, toda vez que determinado prato for vendido, o sistema vai retirar a quantidade de cada produto que o compõe dos registros.

No caso de restaurantes menores, é mais interessante trabalhar por equivalência. Se há 30kg de carne no estoque, então será possível vender X pratos com bife. Se forem vendidos mais ou menos pratos com a mesma quantidade de carne, possivelmente os pratos estão saindo com porções menores ou maiores da carne.

Quer contratar ou aperfeiçoar o sistema de gestão do seu restaurante?
Gostou de algo e quer falar com a gente?
Então, deixe suas perguntas nos comentários!

O que é um certificado digital?

O que é um certificado digital?

Todo documento assinado com Certificado Digital tem validade jurídica e substitui o papel. Você assina virtualmente um documento e ele passa a ser válido em qualquer esfera.
De fato, em todo momento é possível atestar a veracidade de seu conteúdo, já que é possível comprovar se aquele documento provém realmente da sua origem no momento em que você o assinou.

Há alguns tipos de certificados, são eles:

O A1 é instalado nos computadores, sendo eles maquinas pessoais, estações de faturamento ou qualquer outra. Qualquer um que tiver acesso a esta máquina poderá usar a aplicação. Pode ter validade de 1 ano.

O certificado A3 é um token ou um cartão. Esse certificado permite maior segurança pois pode ser guardado, restringindo seu uso. É menos prático, pois o equipamento deve ser levado até a estação que emitirá a nota. É perfeito para empresas menores, em que apenas uma pessoa opera. Por questões de segurança, jamais deixe esse certificado na carteira! Esse certificado geralmente tem validade de um a três anos.

Atenção: O seu sistema de emissão é compatível com todos os tipos de certificados digitais? Não compre um desses certificados sem antes entrar em contato com o suporte do seu sistema.

Ficou com alguma dúvida nas nossas dicas? Gostou de algo e quer falar com a gente? Então, deixe suas perguntas nos comentários!

3 dicas de como iniciar (ou melhorar) o serviço de delivery do seu estabelecimento

3 dicas de como iniciar (ou melhorar) o serviço de delivery do seu estabelecimento

“Se você ainda não tem uma estratégia de delivery, deveria pensar duas vezes.”
Marcelo Fernandes – CEO da Inffel

1. Escolha sua operadora de cartões pensando onde vai fazer entregas

Antes de escolher sua operadora de cartão, faça uma rápida busca para descobrir qual delas atende melhor a região em que você pretende fazer entregas.
Essas informações podem ser obtidas com um telefonema para as operadoras, ou através de seus sites. Aproveite também para tirar qualquer dúvida em relação a seu funcionamento e seus custos.Assim você pode escolher a melhor para o seu negócio.

Em certas localidades, algumas máquinas de cartão perdem o sinal. Converse com entregadores ou com outros proprietários de estabelecimentos para descobrir quais as falhas de cada marca.
Escolha de forma racional e técnica, não embasado em propaganda.

Com o delivery implantado, converse com os entregadores para descobrir possíveis problemas. A sua melhor fonte de informações são os seus funcionários envolvidos na atividade.
Se houver algo de muito errado, eles vão saber te dizer o que é. Ouça o feedback e conserte o que não está indo bem.

2. Um bom recebimento do pedido

Para uma entrega ágil e bem sucedida, todas as informações devem constar no recibo do entregador. Um endereço incompleto ou informação esquecida pode aumentar o custo daquela entrega, e na pior das hipóteses, fazer seu entregador voltar ao estabelecimento por algum erro no pedido.
O treinamento de quem recebe o pedido deve ser revisto de tempos em tempos, pois muitas vezes o perfil de seu cliente também se modifica.

Dentre muitas perguntas, separamos as quatro principais que a atendente deve fazer ao cliente quando ele liga para fazer um pedido. Elas são:

  1. Qual é o pedido e quais as variações do prato;
  2. O endereço do cliente, com referência (caso já use sistema de cadastro de clientes, apenas confirmar se o endereço permanece o mesmo);
  3. Qual será a forma de pagamento (cartão, bandeira e operadora);
  4. Se precisa de troco, no caso de pagamento em dinheiro.

3. Usar um bom sistema de gestão

O objetivo do sistema de gestão é justamente tornar o atendimento e o controle de entradas e saídas mais rápidos.
Imagine todos esses dados anotados em papéis espalhados pelo seu balcão. Terrível, né? E com certeza atrapalharia seu processo.
Um bom sistema de gestão é imprescindível para que um estabelecimento ganhe tempo para se preocupar com o que realmente importa.

Quer mais melhorias para o seu serviço de delivery? Entre em contato com a Inffel.
Teremos prazer em atendê-lo!

Como fazer uma boa gestão de restaurantes?

Como fazer uma boa gestão de restaurantes?

“Gerenciar corretamente é meio caminho andado para o sucesso do seu negócio”
Marcelo Fernandes – CEO da Inffel

1. Acompanhe os custos todos os dias

Um dos grandes problemas dos restaurantes é o desperdício de comida. Por conta disso, acompanhar tudo o que você perdeu, por dia, é imprescindível. Além desse tipo de custo, há outros como o pagamento de horas extras ou até mesmo um funcionário que faltou e você teve que contratar um terceirizado.

Esse é um dado importantíssimo para uma boa gestão financeira. Abrir o caixa do dia seguinte sabendo exatamente o quanto teve de custo e lucro no dia anterior são informações valiosas para equilibrar as contas.

2. Estabeleça metas

Além de ter um objetivo bem estabelecido, é importante determinar as metas de curto, médio e longo prazo. Quanto você quer faturar por dia? Quantas refeições quer vender por mês? Qual a porcentagem de crescimento que deseja para o próximo ano? Quer abrir uma filial?

Precisamos entender que, se não sabemos aonde queremos chegar, qualquer caminho estará bom. Dessa forma, ter metas é muito importante não apenas pela questão financeira, mas, principalmente, para garantir uma melhor gestão do seu negócio.

3. Invista em treinamentos

Investir nos seus funcionários é investir no seu empreendimento. Afinal de contas, ele é feito por pessoas, então nada mais lógico que investir nelas.

Os treinamentos são ótimas formas de mostrar para a sua equipe que você a valoriza e que, se investe, é porque confia nela. Além disso, todos os setores do seu restaurante se tornarão mais produtivos e oferecerão mais qualidade. Por exemplo, treinar os garçons para atender melhor os clientes certamente vai render muitas fidelizações em pouco tempo.

4. Faça a gestão de tributos

Os encargos trabalhistas, impostos dos serviços prestados, entre outros tributos, precisam ser pagos em dia. Além de evitar problemas com a fiscalização, você não gastará mais dinheiro com coisa desnecessária.

Portanto, fique sempre atento às suas contas. Organize-se, coloque tudo em pastas separadas para que a documentação seja facilmente encontrada, quando necessário. Anote todas as datas de pagamento, deixando a sua mente livre para focar em outros processos mais complexos.

5. Aposte em tecnologia

Quer aumentar a produtividade do seu restaurante e reduzir erros, como o preparo de uma refeição que pode ser servida para o cliente errado? Então, organize o seu dia a dia com a ajuda de bons softwares.

Os garçons, por exemplo, podem fazer o pedido dos clientes por meio de um software que está diretamente ligado à cozinha. Isso evita que um cliente que chegou bem depois de outro tenha sua refeição pronta antes daquele cliente que está aguardando há muito tempo.

Fazer a gestão de restaurantes não é algo difícil, basta seguir boas práticas e manter a organização de todos os setores. Isso pode dar um pouco de trabalho, mas usando recursos tecnológicos, tudo fica bem mais fácil.

Ficou com alguma dúvida nas nossas dicas? Gostou de algo e quer falar com a gente? Então, deixe suas perguntas nos comentários!

3 motivos para você ser encontrado no iFood

“Gerenciar corretamente é meio caminho andado para o sucesso do seu negócio”
Marcelo Fernandes – CEO da Inffel

1. Aumento do Faturamento

Independente da proposta inicial do seu restaurante, um serviço de delivery bem feito traz mais lucro para seu negócio. Em outras palavras, uma boa medida para que seu faturamento aumente é apostar no delivery e posteriormente aderir o iFood.

Se você já trabalha com entregas, o iFood te trará ainda mais clientes. Pense que além das casas que já solicitam seu serviço, pelo aplicativo você alcançará aqueles que nunca te ligaram. Considere ganhos maiores!

2. Rapidez nas entregas

Quando um cliente faz contato por telefone, há necessidade do mesmo validar o cadastro e escolher o pedido. Essa conversa pode durar alguns minutos, e em vendas, os minutos são preciosos. Enquanto você está “preso”, falando com um cliente, outros estão tentando fazer contato. (Leia aqui sobre dicas para um melhor serviço de delivery)

Com o iFood, a solicitação do seu pedido chegará apenas quando o possível cliente já escolheu e se cadastrou no app. Isto é, você pode receber uma quantidade maior de pedidos quase que no mesmo tempo de uma única ligação e os entregar de forma dinâmica, sem perder tempo.

Agora, imagine você ter que lançar os pedidos do iFood, um a um, no seu sistema? Entendendo essa demanda, a Inffel aprimorou seu módulo de delivery e os lançamentos do iFood acontecem automaticamente para o seu sistema! Entre em contato conosco hoje mesmo para saber mais!

3. Visibilidade e Marketing

Por motivos óbvios, o iFood permite que você apareça para quem ainda não é seu cliente, ou que você seja lembrado pelos que já te conhecem. Quando o usuário do aplicativo pesquisar o que pedir, pode ser que ele esbarre com o seu restaurante e faça um pedido para você.

Os especialistas em gestão da Inffel recebem depoimentos que confirmam a eficiência do iFood no que diz respeito à visibilidade. “Verificamos um aumento de cerca de 30% na quantidade de entregas aqui no estabelecimento.” constatou um dos gerentes de um tradicional restaurante de Niterói.

Ficou com alguma dúvida nas nossas dicas? Gostou de algo e quer falar com a gente? Então, deixe suas perguntas nos comentários!